PROGRAMAÇÃO

Novembro/2010

Oi Futuro Flamengo

Dia 10
foto espetaculo teatro às 19h
Oi Futuro Flamengo
Teatralidade e fronteiras do teatro
Mesa:
José Sanchis Sinisterra
Dramaturgo e diretor teatral espanhol.Estudou Filosofia e Teatro na Universidade de Valencia, criou o Grupo de Estudos Dramáticos e em 1963, a Associação Independente de Teatros Experimentais. É professor titular do Instituto de Teatro de Barcelona. Criou também em Barcelona o Teatro Fronterizo e a Sala Beckett. Por muitos anos recebeu na Sala Beckett bolsistas de vários países e formou dezenas de novos dramaturgos. Muitos dos dramaturgos espanhóis das novas gerações foram seus discípulos. Está incansavelmente viajando por diversos países, sobretudo das Américas, oferecendo workshops em que utiliza métodos sistematizados ao longo de anos de uma produção ininterrupta, sobre teoria e prática da dramaturgia. A experimentação e investigação são constantes na sua obra, as fronteiras da teatralidade, o despojamento dos elementos constitutivos da teatralidade tradicional e a modificação dos mecanismos perceptivos do espectador. Tem uma obra vasta, montada e publicada. Entre seus títulos: Ay, Carmela!, Ñaque, O de Piojos y Actores, InformeSobre Ciegos, Los Figurantes, El Cerco de Leningrado, Pervertimentos, Perdida en los Apalaches, Valeria y los Pájaros, Lector por Horas.

Marco Antonio de La Parra
Médico psiquiatra, escritor e dramaturgo chileno. É autor de mais de 70 títulos traduzidos em vários idiomas, entre peças teatrais, novelas, livros de relatos e ensaios. Membro da Academia Chilena de Belas Artes, do Instituto do Chile, cronista do jornal La Nación, crítico de televisão; colunista e colaborador de publicações; Diretor de Literatura da Universidad Finis Terrae. De 1991 a 1993, foi Adido Cultural da Embaixada do Chile na Espanha. É também diretor e ator, além de professor. É autor do livro Crear o Caer, sobre a criação teatral e literária. Ganhou diversos premios de dramaturgia. Dentre suas obras: Lo Crudo, lo Cocido, lo Podrido, La Secreta Obscenidade de Cada Día, El Cuerpo de Chile, La Casa de Dios, Te Amaré Toda la Vida, La Entrevista, El Piano Mudo, La Vida Privada, La Puta Madre, El Continente Negro.

Aderbal Freire Filho
É diretor, autor e ator, criador do Centro de Demolição e Construção do Espetáculo. Alguns de seus espetáculos foram concebidos para espaços não convencionais: A morte de Danton, nas galerías do metrô em construção do Rio; Tio Vania, no Parque Lage; O tiro que mudou a história, no Palácio do Catete. Em Montevidéu, dirigiu a Comédia Nacional del Uruguay e a Institución Teatral El Galpón. Suas pesquisas sobre o equilíbrio entre expressão dramática e expressão narrativa encontram uma síntese na trilogia de Romances-em-Cena, A Mulher Carioca aos 22 anos, O que diz Molero e O Púcaro Búlgaro. Seus espetáculos mais recentes: Hamlet, Macbeth, Moby Dick e Orfeu, de Vinicius de Moraes e Tom Jobim. Foi professor da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro e coordenou a comissão de professores que projetou o Curso de Direção Teatral, da Escola de Comunicação.


Evento já realizado

maio/2010

Dia 04
foto Eugenio Barba às 19h
Princípios da Antropologia Teatral
Palestra de Eugenio Barba Diretor teatral, fundador do Odin Teatret, Dinamarca. Presença do ator Sérgio Mamberti Presidente da FUNARTE. Lançamento do livro A Canoa de Papel, de autoria de Eugenio Barba

Dia 05
foto Julia Varley às 19h
O Tapete Voador
Demonstração do espetáculo O Tapete Voador com Julia Varley Atriz do Odin Teatret

Dia 12
foto Cenico Sagrado às 19h
O Cênico e o Sagrado
Apresentação de Entrevista com um Griot, uma poesia teatralizada por Macedo Griot (duração 10 minutos).(Macedo Griot é arte-educador, artista de Rua e pesquisador autodidata)

Apresentação de O Samba da Casa de Exu, a partir de um conto do livro Caroço de Dendê, pelo Grupo Omon Eja, com sete crianças da comunidade Terreiro de Mãe Beata de Iemanjá. (duração 20 minutos).

Palestra O Cênico e o Sagrado, com Muniz Sodré(Muniz Sodré é pesquisador, escritor, professor e Presidente da Fundação Biblioteca Nacional)

junho/2010

Dia 02
foto evento mitos às 19h
Tradição e Experimentação na Terra dos Mitos
Apresentação do Ritual da Dança do Toré, da Comunidade Pankararu do Real Parque, São Paulo.

Debate: Tradição e Experimentação na Terra dos Mitos.

Washington Novaes é bacharel em Direito, jornalista, produtor das séries Xingu, Kuarup e Pantanal. Trabalhou na TV Globo, Bandeirantes e Manchete.

Daniel Manduruku, escritor, graduado em Filosofia e Doutorando em Educação na USP.

Ailton Krenak, jornalista e membro da Ong Núcleo de Cultura Indígena

João das Neves, dramaturgo, diretor, ator e escritor.

Dia 09
foto evento corpo às 19h
O Corpo Político que Dança
Apresentação do espetáculo Nenhuma Pátria me Pariu, da Membros Cia. de Dança.

Palestra: O Corpo Político que Dança

Paulo Azevedo, Diretor da Membros Cia. de Dança e Mestre em Políticas Sociais

julho/2010

Dia 20
foto espetaculo crocodilo às 19h
Espetáculo: Há um crocodilo dentro de mim

Direção: Silvana Garcia, com Amanda Lyra e Maria Claudia Reis

Sinopse: Em uma “toca do coelho” imaginária, duas Alices - desdobradas da protagonista da obra de Lewis Carroll - divertidas e extravagantes, brincam com temas sérios num jogo de faz-de-conta adulto. Elas cantam, dançam, contam histórias e fabulam, em clima de non-sense, sobre a vida, a morte e outros assuntos bem menos solenes. Direção Silvana Garcia. Duração: 50 minutos. Indicado para público acima de 16 anos.

Dia 21
foto teatralidade às 19h
Teatralidades liminares - América Latina
Mesa: Teatralidades liminares - América Latina

Silvana Garcia - Pesquisadora, dramaturgista, professora da Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo, autora dos livros Teatro da Militância (Perspectiva, 1990) e As Trombetas de Jericó – Teatro das Vanguardas Históricas (Hucitec, 1997); autora de inúmeros ensaios sobre teatro publicados no Brasil e no exterior; diretora do grupo lasnoias & cia. com os espetáculos Lesão Cerebral (2007) e Há um crocodilo dentro de mim (2009)

Miguel Rúbio - Membro fundador e diretor do Grupo Yuyachkani; professor da Faculdade de Ciencias e Artes da Comunicación da Pontificia Universidade Católica do Peru; membro do Conselho de Direção da Escuela Internacional de Teatro de la América Latina y el Caribe (EITALC), de Cuba; autor dos livros Notas sobre Teatro (Universidade de Minnesota, EUA, 2001), e El Cuerpo Ausente - Performance Política (Grupo Cultural Yuyachkani, Lima, 2006)

Ileana Diéguez - Professora-investigadora da Universidade Autónoma Metropolitana, Unidad Cuajimalpa, México, DF. Integra o grupo dos professores responsáveis de Pós-graduação em Historia da Arte da UNAM, onde leciona em vários cursos. Membro do Conselho de Direção da Escuela Internacional de Teatro de la América Latina y el Caribe (EITALC); autora de Escenarios Liminales: Teatralidad, Performancve y Política (Buenos Aires, Atuel, 2007), Teatro Brasileño Contemporáneo (La Habana, Arte Y Literatura, 1990), coeditora de Perfo rmance Y Teatralidad (Cuadernos de Investigación, México, CITRU/INBA/Conaculta, 2005).

Jorge Dubatti - Pesquisador e crítico teatral, docente na Universidade de Buenos Aires, na Universidade Nacional de Lomas de Zamora e na Universidade Nacional de Rosario; diretor do Centro de Investigación de Historia y Teoría Teatral (CIHTT), do Centro Cultural Ricardo Rojas, da Escuela de Espectadores e do Centro de Investigación en Literatura Comparada (CILC); editor das obras de Ricardo Bartís e de Eduardo Pavlovsky; de suas obras publicadas mais recentemente destacam-se El Teatro Jeroglífico. Herramientas de Poética Teatral. (Buenos Aires, Atuel, 2002), El Convivio Teatral: Teoria y Práctica del Teatro Comparado (Buenos Aires, Atuel, 2003) e Filosofía de Teatro I: Convívios, experiencia, subjectividad. (Buenos Aires, Atuel, 2005),

Dia 28
foto teatralidade na politica às 19h
Oi Futuro Famengo
O Fim do que não tem Fim: Capitalismo e Colonialismo
Rap Global - Apresentação da rapper e ativista social Combatente, do compositor e cantor Rafael Nike, da pesquisadora MC Numa Ciro, do pesquisador e produtor musical DJ Sandro Machintal, do compositor e guitarrista César Lacerda e da Intervenção Áudio-visual - Marcus Faustini e DJ China.

César Lacerda é compositor e multi-instrumentista, bacharelando em flauta transversal pela Uni-Rio com formação complementar pela UFMG, tendo estudado ao longo de sua vida com nomes importantes da música mundial como Guinga, José Miguel Wisnik, Artur Andrés, Eládio Pérez-González, entre outros. Atualmente, está na fase de pré-produção de seu primeiro disco solo.

Rafael “Nike” Soares, nascido e criado em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, é cantor, compositor, produtor, ativista cultural e estudante de Letras. Também coordena o Espaço Cultural Na Encolha e atua como vocalista da banda Bloco 18, além de ser Assessor na Secretaria de Cultura e Turismo de Nova Iguaçu. Rafael “Nike” Soares, nascido e criado em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense, é cantor, compositor, produtor, ativista cultural e estudante de Letras. Também coordena o Espaço Cultural Na Encolha e atua como vocalista da banda Bloco 18, além de ser Assessor na Secretaria de Cultura e Turismo de Nova Iguaçu.

DJ Machintal, se chama Sandro Machintal. É pesquisador e produtor musical. Desenvolve um trabalho amplo, se dividindo entre djset, o garimpo de discos e a produção musical. Como dj executa seu set, criando uma atmosfera que transita entre os grooves do funky dos anos 70 e os ritmos brasileiros somado aos pulsos dançantes e pesados do hip hop e os ritmos quebrados da musica eletrônica.

A Rapper e Ativista Social Combatentte, ficou conhecida no Brasil e no Exterior através da música com o Documentário: “Fala Tu”, onde rompe uma barreira, embora bem mais aceita hoje, pelos rapper’s homens pela sua integridade, dignidade e principalmente a seriedade de levar a bandeira não feminista, mas sim, feminina do Hip Hop brasileiro. Em sua carreira solo desenvolve o seu primeiro CD - Odoiyá, que é uma palavra africana do dialeto “Yorubá” no qual significa: “Oh! Mãe das águas” que tem a representatividade da Senhora do Universo, segundo a Mitologia Africana. Iemanjá.

Lançamento do livro Rap Global, da Editora Aeroplano

Queni N.S.L. Oeste é um jovem rapper do Barreiro. Sua criatividade é atormentada e neurótica, já que viveu intensamente as dificuldades da família e os fantasmas do pai, Antero, que viveu o trauma do desterro. Em Rap Global, Queni consegue transformar em energia poética e musical a tragédia familiar e a raiva incontida ante os factos que a causaram. “A raiva é saliva da alma”, diz Queni a certo passo.

Palestra: O Fim do que não tem Fim: Capitalismo e Colonialismo

Boaventura Souza Santos

Nasceu em Coimbra. É Doutor em sociologia do direito pela Universidade de Yale, professor catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Distinguished Legal Scholar da Faculdade de Direito da Universidade de Wisconsin-Madison e Global Legal Scholar da Universidade de Warwick. É também director dos Centros de Estudos Sociais e do Centro de Documentação 25 de Abril, e Coordenador Científico do Observatório Permanente da Justiça Portuguesa - todos da Universidade de Coimbra. Entre os diversos prêmios que recebeu podemos citar: Prêmio Gulbenkian de Ciência (Portugal - 1996); Prémio Jabuti - Área de Ciências Humanas e Educação (Brasil - 2001); Prêmio Adam Podgórecki, atribuído pela Associação Internacional de Sociologia (2009). Publicou mais de 20 livros, entre os quais: Para uma revolução democrática da justiça (2007 ), Conocer desde el Sur: Para una cultura política emancipatoria (2008), Diritto ed emancipazione sociale (2008), As Vozes do Mundo (Org. - 2008), A universidade no século XXI. Para uma universidade nova (com Naomar de Almeida Filho - 2008).


Agosto/2010

Dia 04
foto teatralidade do feminino às 19h
Oi Futuro Famengo
Teatralidades do Feminino
Mesa: Utopias Urbanas - A Teatralidade da Cidade.


MV Bill

Alex Pereira Barbosa, de apelido MV - Mensageiro da Verdade - Bill, surgiu quando algumas senhoras da Cidade de Deus, ao verem como o rapper defende a cultura Hip Hop através de suas letras, por relatar o real cotidiano do lugar. É um dos fundadores da ONG Central Única das Favelas, a CUFA e atualmente é o responsável pela base da CUFA na Cidade de Deus. Em sua discografia constam Mandando Fechado (98), Traficando Informação (99), Declaração de Guerra (2002), Falcão – o bagulho é doido. e Causa e Efeito (2010).Recebeu os prêmios: Hotúz, o Prêmio do Ministério da Justiça (Categoria Direitos Humanos), Prêmio Wladimir Herzog, Prêmio Unesco (Barcelona), Prêmio Unesco Juventude, entre outros. O rapper já foi também premiado pela Unesco como uma das dez pessoas mais militantes do mundo, nos últimos 10 anos. Seus shows já foram apresentados em Dinamarca (2002), Miami (2003), Espanha (2004), França (2005), Inglaterra (2005) e Estados Unidos (2007).

Dia 11
foto transteatralidade às 19h
Oi Futuro Famengo
Transteatralidade – A Construção da Imagem na Transexualidade
Espetáculo:TransTchecov - Fotos Rodrigo Castro

Direção: Celina Sodré

Dramaturgia: Celina Sodré e Marcus Fritsch

Sinopse: TransTchecov traz fragmentos de três peças de Tchecov. A particularidade do trabalho é de ter nos papeis femininos um grupo de três travestis e duas transexuais que, desde o final de 2008 estão em um processo de formação de atrizes no Instituto do Ator com Celina Sodré e os atores do Studio Stanislavski. TransTchecov é também uma homenagem aos 150 anos de Anton Tchecov.

Elenco: Andrea Freitas, Carlos Tonelli, Dandara Vital, Davi de Carvalho, Douglas Resende, Evelin Reginaldo, Jane Padilha, Joana dos Santos, Kettlen Cajueiro, Marcus Fritsch, Mel Agatha, Pedro Mangueira e Vandré Silveira

Mesa: Transteatralidade - a Construção da Imagem da Transexualidade

Mesa mediada por Celina Sodré e os convidados Gilberto Gavronski e Edwin Luisi.

Celina Sodré é diretora do Studio Stanislavski há 19 anos e professora da CAL desde 1995. Em 1989 participou do Objective Drama Program com Jerzy Grotowski na University of Califórnia USA, experiência que até ho je influência o seu trabalho como diretora e pedagoga. Há dois anos fundou o Instituto do Ator, na Lapa, que funciona como um instituto de pesquisa e experimentação da arte do ator.

Edwin Luisi, começou sua carreira de ator quando entrou na Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo. Com 40 anos de carreira, criou personagens memoráveis como a transexual que o consagrou em Tango, Bolero e Cha Cha Cha e do travesti em Eu sou minha própria Mulher.

Anibal Guimarães Mestre em Ciências (ENSP/Fiocruz). Doutorando em Saúde Pública (ENSP/Fiocruz) Bioeticista (IFF/Fiocruz), Pesquisador em Sexualidade, Gênero, e Direitos Humanos Assistant Editor, Journal of LGBT Youth (Routlege, USA)

Setembro/2010

Dia 01
foto espetaculo crocodilo às 19h
Oi Futuro Flamengo
Montagem/desmontagem do Feminino
Abertura: Espetáculo Carne

Criação, direção e performance: Micheline Torres

Produção: Daniele Ramalho e Micheline Torres

Música: Marc Houle

Edição de Música: MM Meirelles

Luz: José Geraldo Furtado Gomes

Fotos: Nicolas Boudier e Manuel Vason

Vídeo: Gijs Andriessen

Performance:
Bailarina, coreógrafa e performer. Formada na Uni-Rio, trabalhou por 12 anos como bailarina e assistente de Lia Rodrigues, colaborou com coreógrafos como: Claúdia Muller, Dani Lima, João Saldanha e artistas visuais como Tunga. Seu novo trabalho: "Eu prometo: isto é político" estréia em outubro.

Sinopse: Carne trata da manipulação da carne, da sexualidade e dos significados e funções originados nesta fricção. O espetáculo temo apoio do Centre National de La Danse e Micadanse Studois (Paris), do projeto de residências Récollets, da Prefeitura de Paris e Ministério das Relações Exteriores. Foi apresentado em estados do Brasil, França, Noruega e Portugal.

Mesa Redonda:
Marcia Tiburi

Mestre e Doutora em Filosofia. Professora de Pós-Graduação em Arte, Educação e História da Cultura. Publicou "As Mulheres e a Filosofia", "O corpo torturado", "A mulher de costas", entre outros. É colunista da Revista Cult e participa do Programa "Saia Justa" na GNT.

Marisa Naspolini
Atriz, diretora, jornalista, produtora e professora de teatro. Mestre em Análise do Movimento em Nova York e Doutoranda em Teatro pela Udesc/SC. Criou e coordena o Vértice Brasil - encontro e festival de teatro feito por mulheres, ligado ao Projeto Magdalena, rede internacional de teatro feminino presente em mais de 50 países.

Rosiska Darcy de Oliveira
Escritora, jornalista. Doutora e professora por mais de 10 anos na Universidade de Genebra. Ligada ao feminismo brasileiro e ao movimento internacional de mulheres. Preside o Centro de Liderança da Mulher e o Rio Como Vamos. Publicou: "Elogio da Diferença: o Feminino Emergente", "Reengenharia do Tempo", entre outros.

Dia 08
foto espetaculo olga às 19h
Oi Futuro Flamengo
Abertura: Cena teatral da peça "OLGA BENÁRIO - Um breve futuro”

Interpretação: Tuca Moraes

Direção: Luiz Fernando Lôbo

Mesa Redonda:
ARTE E POLÍTICA, Limites do (Im)Possível
Agnaldo Farias

Professor doutor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. Crítico de arte, autor de livros como "Arte Brasileira Hoje", editor e organizador do livro 'Bienal 50 anos". Foi curador da Representação Brasileira da 25° Bienal (1992), do Instituto Tomie Ohtake, CCBB. Foi Curador Geral do MAM no Rio (1998/2000). Curador junto com Moacir dos Anjos da 29º Bienal de SP deste ano.

Luiz Fernando Lôbo
Diretor teatral da Companhia Ensaio Aberto, dirigiu dentre outros espetáculos: “Cabaré Youkali”, “O Cemitério dos Vivos”, “Bósnia, Bósnia”, “Morte e Vida Severina”, “Missa dos Quilombos” e “Olga Benário - Um Breve Futuro”.

Rafael Leona
Artista plástico argentino que reside no Brasil, desenvolve desde o fim dos anos 90 trabalhos junto aos coletivos artísticos GAC (Grupo de Arte Callejero/Argentina), Contrafilé e Política do Impossível (São Paulo, Brasil), nos quais a reinvenção da política através da produção de imagens é uma busca constante. Sua atuação se dá pela tomada de espaços públicos como forma de questionar os espaços tadicionais de arte.

César Charlone
Fotógrafo e cineasta uruguaio radicado no Brasil. Fez a direção de fotografia dos filmes como O Jardineiro Fiel, Ensaio Sobre a Cegueira, "Pierre Verger, mensageiro entre dois mundos". Ganhou prêmios nos festivais de Gramado e Havana com"Cidade de Deus" e indicação ao Oscar deMelhor Fotografia. Escreveu, fotografou e dirigiu o premiado filme "O Banheiro do Papa".

Outubro/2010

Dia 06
foto espetaculo riso às 19h
Oi Futuro Flamengo
A Teatralidade do riso
Abertura: Uma grande intervenção de diversos números circenses ocupará os espaços externos, as escadas e o bistrô do centro cultural: “As Marias da Graça”, o grupo “Roda Gigante”, o “Circo Dux”, o palhaço “Tchesco”, o palhaço “Dudu” e o palhaço “Xuxu” vão apresentar toda irreverência, anarquia e loucura dos palhaços no Oi Futuro do Flamengo. Além disso, no palco do teatro, o ator, diretor e palhaço, Márcio Libar vai comandar uma performance de stand up comedy.

Mesa Redonda:
A teatralidade do riso

Alice Viveiros de Castro
é atriz e diretora de teatro e circo. Já foi vedete, recebeu o Prêmio Mambembe de melhor atriz em 1982, foi humorista de televisão e ativista sindical. Pesquisa, estuda, promove e divulga o circo brasileiro. É autora do livro “Elogio da Bobagem” e desde 1997, coordena as audições do Cirque du Soleil no Brasil.

Adriana Schneider é atriz, diretora, jornalista e pesquisadora de teatro. Professora adjunta do Curso de Direção Teatral ECO / UFRJ e integrante do grupo Pedras. Mestre em Teatro pela UNIRIO e Doutora em Antropologia pelo IFCS/UFRJ.

João Carlos Artigos é ator e diretor de teatro. Coordena a equipe de produção em todas as edições do Encontro Internacional de Palhaços Anjos do Picadeiro, desde 1996, e atualmente está em cartaz com o filme “Cinco vezes Favela – Agora por nós mesmos”, episódio “Acende a Luz”.

Luiz Carlos Vasconcelos / Palhaço Xuxu “Um palhaço cidadão”, nas palavras do seu criador, o diretor e ator paraibano Luiz Carlos Vasconcelos que encarna o personagem, fruto de sua paixão pelo circo e as técnicas populares de representação, há 27 anos. Vasconcelos realizou estudos no Laboratório Internacional de Atores do Odin teatret, na Dinamarca, entre 1988 e 1989, e logo depois integrou a Intrépida Trupe. Já recebeu três prêmios de melhor ator da APCA (Associação de Críticos de Arte de São Paulo). Entre seus principais trabalhos, destacam-se os filmes “Carandiru (2003) e “Eu, Tu, Eles” (2000), além do espetáculo “Vau da Sarapalha”, sucesso no Brasil e no exterior.

Os palhaços:

As Marias da Graça

Formado em 1991, é o primeiro grupo brasileiro de mulheres palhaças. Em 2003, a trupe recebeu 02 prêmios na área: o “Global Fund for Women”, São Francisco, EUA e o “IV Concurso de Empreendimentos Exitosos Liderados por Mulheres”, Rede Mulher de Educação, São Paulo. As apresentações são realizadas em espaços urbanos.

Márcio Libar
é produtor cultural e diretor artístico do Teatro Maria Clara Machado, no Planetário da Gávea-RJ, onde mantém um ateliê de criação. Também conduz projetos como o Clube Teatro e o TV Mobile de Humor. Coordena oficinas de investigação artística, aprimoramento técnico, formação e qualificação profissional em torno da arte de fazer rir. Um de seus cursos mais conhecidos é voltado para grandes executivos, que são instruídos na “filosofia do palhaço”.

Roda Gigante
Fundado há 15 anos, o grupo desenvolve uma pesquisa sobre a atuação do palhaço na sociedade e sua potência como “promotor de saúde”. O Roda Gigante desenvolve ações artísticas em cinco hospitais públicos da cidade do Rio de Janeiro - shows, oficinas e peças de teatro - com o objetivo de redimensionar o conceito de saúde. Somente em 2009, quinze mil crianças foram atendidas pelos “doutores palhaços” do Roda Gigante.

Circo Dux
Companhia carioca de “humor circense” formada por Claudio Parente, Fabrício Dorneles e Lucas Moreira. Constroem histórias e personagens baseados no universo do circo, dos parques de atrações, feiras populares e cabarés de variedades. Já se apresentaram em importantes festivais, eventos e ganharam prêmios como: melhor espetáculo do VI FIL (Júri popular 2008) e o prêmio Carequinha (FUNARTE) em 2007 e 2009.

Tchesco o sensacional
Formado pela Escola Nacional de Circo, Tchesco Villares é um dos palhaços mais conhecidos do país. Já se apresentou nos EUA, Suécia, Itália e Alemanha.

Palhaço Dudu
Um dos fundadores da Intrépida Trupe e dos Irmãos Brothers, iniciou a carreira em 1986 após um curso na CAL com Luis Carlos Vasconcellos, o Palhaço Xuxu. Em 1991, Dudu se aventurou nas artes plásticas, através do bem humorado Manifesto Duduista. Em 2002, estreou seu espetáculo “Clowne: o Palhaço Cientista”, em que aborda questões como a clonagem humana, humor, circo, mágica e muita diversão com sua máquina de “clownagem”.

Palhaço Xuxu/ Luiz Carlos Vasconcelos
o diretor e ator paraibano Luiz Carlos Vasconcelos encarna o Palhaço Xuxu há 27 anos. Em 1988, realizou estudos no Odin teatret, na Dinamarca e já ganhou 3 prêmios da APCA (Associação de Críticos de Arte de São Paulo).

Classificação Etária 14 anos. Entrada franca. Distribuição de senhas meia hora antes dos eventos, sujeita à lotação do teatro.

Oi Futuro Flamengo:
Rua Dois de Dezembro 63, Flamengo, RJ
Próximo a estação do metro Largo do Machado

Acompanhe a programação nos sites:
www.ateatralidadedohumano.com.br e www.oifuturo.org.br